COOKIES:

Os Cookies ajudam-nos a proporcionar-lhe a melhor experiência possível ao visitar esta página.
Para saber mais, leia a nossa política de cookies . Compreendo, fechar esta mensagem.

150-man-child-outdoors

FALAR COM O SEU MÉDICO

Uma vez que diferentes tipos de dor na coluna requerem formas diferentes de tratamento1, o seu médico irá querer saber quando começou a sua dor, qual a intensidade e de que forma afeta o seu dia-a-dia.2

QUANDO COMEÇOU A SUA DOR?

O seu médico irá precisar de saber como e quando começou a sua dor, portanto, antes da primeira consulta, pense nas seguintes questões:

  • Lembra-se ao certo quando se apercebeu pela primeira vez da sua dor, ou foi surgindo gradualmente, intensificando-se com o passar do tempo?2
  • Lembra-se de algum problema ou acontecimento em concreto que relacione com o início à dor? Se sim, quando ocorreu?3
  • A dor surge após algumas atividades? Como por exemplo, a prática de exercício físico?2
  • A sua dor tem vindo a melhorar ao longo do tempo, ou a agravar-se?2

DESCREVER A SUA DOR 2,3

A dor é difícil de descrever, pois surge de diversas formas. Desde uma sensação de ardor a uma pontada ou sensação de distensão, não é fácil definir a dor na coluna. Porém, é importante que a descreva da melhor forma possível, pelo que não finja que a sua dor é melhor ou pior do que é na realidade. Tente ao máximo ser claro e preciso na sua descrição.
Antes de ir ao médico, pense na resposta que poderá dar às seguintes perguntas:

  • Consegue identificar uma zona específica da sua coluna onde sente dor?2
  • A sua dor desloca-se, atinge outras partes do corpo ou é generalizada?2
  • A intensidade de dor diminui ou aumenta com determinadas atividades?2
  • O padrão da dor é sempre igual ou sente dor em diferentes partes do corpo?2
  • Como descreve a sensação de dor? Podem ser usadas palavras como “lancinante”, “constante”, tipo moinha, “forte”, “pungente”, “pontada” ou latejante para descrever a dor.3 Qual destes adjetivos melhor define o tipo de dor que sente?

DE QUE FORMA SE SENTE AFETADO PELA SUA DOR?1,2

Viver com dores na coluna pode também provocar problemas no dia-a-dia. É importante que o seu médico compreenda de que forma a dor está a afetá-lo, a afetar a sua capacidade de trabalhar ou o desempenho das suas tarefas quotidianas, e também de que forma afeta a sua vida familiar. O médico poderá colocar as seguintes questões:

  • A sua dor impede-o de realizar algumas atividades do dia-a-dia?3
  • Que efeito tem o exercício físico ligeiro ou a ida ao ginásio na dor?2
  • A dor dificulta-lhe o sono ou acorda-o durante a noite?2
  • Sentar-se ou deitar-se alivia-lhe a dor?2
  • A dor afetou-lhe o apetite?
  • Que fatores aliviam ou agravam a sua dor?2

O EXAME FÍSICO

O seu médico irá querer examinar a sua coluna e a zona envolvente, para perceber a causa principal da dor. Poderá ainda solicitar outros exames, como exames imagiológicos e/ou análises ao sangue.2

OS SEUS ANTECEDENTES CLÍNICOS

Os problemas de saúde anteriores podem ser importantes, por isso, é normal que o seu médico lhe pergunte pelos seus antecedentes clínicos. Tente responder da melhor forma possível, pois isso irá ajudar o médico a chegar a um diagnóstico. 

Durante a consulta, o médico poderá perguntar-lhe:  

  • Se sofreu recentemente alguma perda inexplicável de peso
  • Se teve alguma infeção recentemente1
  • Se tem antecedentes familiares de alguma doença2
  • Se está a tomar alguma medicação2

OUTROS PROFISSIONAIS DE SAÚDE

O seu médico poderá também referenciá-lo para vários outros especialistas. Cada um deles é especializado numa área específica e poderá trabalhar consigo para alcançar um diagnóstico e tratar da melhor forma a sua patologia, ao longo do tempo.

A tabela abaixo explica quem são esses diferentes especialistas e o que fazem. Se tiver alguma outra dúvida, fale com o seu médico.

Profissional de Saúde Papel no tratamento da dor lombar
Médico de Medicina Geral e Familiar (MGF) O seu médico de MGF é o primeiro especialista a contactar em caso de dor na coluna vertebral. É ele quem irá avaliá-lo com base nos primeiros sintomas e, se necessário, encaminhá-lo para um especialista para uma avaliação mais exaustiva, para a realização de exames de diagnóstico ou para tratamento.
Fisioterapeuta Poderá ser encaminhado para um fisioterapeuta, um profissional de saúde especializado na movimentação e funcionamento do corpo. O fisioterapeuta irá avaliar a sua dor na coluna e poderá realizar terapia manual ou exercícios terapêuticos.
Reumatologista Se a sua dor na coluna vertebral for considerada de natureza inflamatória, o seu médico de Medicina Geral e Familiar poderá encaminhá-lo para este médico especialista em doenças reumáticas, causa frequente de dor inflamatória na coluna, bem como em diversas outras patologias que afetam as articulações, os ossos e os músculos. O reumatologista poderá solicitar exames de diagnóstico e poderá dar início a um tratamento, dependendo da causa da sua dor na coluna.
Ortopedista ou Neurocirurgião A cirurgia pode ser uma solução para o tratamento da dor na coluna, quando outros tratamentos não resultaram. Dependendo da causa da sua dor, poderá ser encaminhado para um cirurgião, que irá avaliar se a cirurgia é a forma correta de tratar a sua dor na coluna. Podem ser Ortopedistas ou Neurocirurgiões.
Enfermeiro de Apoio à Reumatologia Enfermeiros com formação para realizar atividades de apoio aos reumatologistas, como por exemplo, observação das articulações, administração de tratamentos. Poderão ainda dar-lhe apoio a nível emocional e social.
Radiologista O seu médico assistente pode encaminhá-lo para um radiologista, ou seja, um especialista médico para a realização de exames imagiológicos (radiografias, TAC ou RMN) à sua coluna. Isto irá ajudar a identificar a causa da sua dor na coluna.
PARTILHAR A PÁGINA
​DOR NA COLUNA
QUESTIONÁRIO DE SINTOMAS

Existem diferentes tipos de dor na coluna, e é importante descobrir o tipo de dor, para poder tratá-la corretamente. Caso sofra de dor na coluna há mais de 3 meses, deve completar o nosso Questionário de Sintomas, que irá ajudá-lo a si e ao seu médico a avaliar a possibilidade de a sua dor ser de origem inflamatória.

REFERÊNCIAS

  1. National Ankylosing Spondylitis Society (NASS). Differentiating inflammatory and mechanical back pain. 2012.
  2. Sieper J, et al. The Assessment of SpondyloArthritis International Society (ASAS) handbook: a guide to assess spondyloarthritis. Ann Rheum Dis. 2009;68:ii1–ii44. 
  3. Cohen SP, et al. Management of low back pain. BMJ. 2008;337:a2718.